(MAIS)CULINOS: outras possibilidades de corpos e gêneros para as carnes sexuadas pela presença de um pênis

DURVAL MUNIZ DE ALBUQUERQUE JÚNIOR

Resumo


Partindo de uma diferenciação conceitual entre carne e corpo, esse texto discute como as atribuições sociais e culturais de identidades de sexo e gênero, para dadas carnes, são fundamentais na construção de corpos vistos e ditos como de machos e como masculinos. Tomando como objeto de análise um conto do escritor pernambucano Marcelino Freire, o conto Júnior, presente no seu livro Rasif: mar que arrebenta, o texto procura exemplificar como as carnes que nascem sexuadas com um pênis não estão condenadas pela natureza, ou pela divindade, a vir a configurarem corpos de machos ou corpos masculinos. O texto busca deixar claro que há mais masculinos do que as visões naturalistas e deterministas procuram afirmar.

Palavras-chave: Carne. Corpo. Masculinidades.


(MORE)CULINESother possibilities of bodies and genders for flesh sexed by the presence of a penis 

Abstract: Starting from a conceptual differentiation between flesh and body, this text examines how the social and cultural attributions of sex and gender identities, for the given fleshes, are fundamental in the construction of bodies viewed and called male and masculine. Taking as object of analysis a short story by Pernambuco writer Marcelino Freire, O Conto Junior, present in his book Rasif: sea that breaks, our text seeks to exemplify how the flesh born with a penis is not condemned by nature, or by a deity, to eventually become male or masculine bodies. The text seeks to clear that there are more masculine forms than naturalist and deterministic views state.

Keywords: Flesh. Body. Masculinities.


(MAIS)CULINOS: otras posibilidades de cuerpos y de géneros para las carnes sexuadas por la presencia de un pene

Resumen: Partiendo de una diferenciación conceptual entre carne y cuerpo, ese texto analiza como las atribuciones sociales y culturales de identidades de sexo y género, para dadas carnes, son fundamentales en la construcción de cuerpos vistos y dichos como de machos y como masculinos. Tomando como objeto de análisis un cuento del escritor de Pernambuco, Marcelino Freire, el cuento Júnior, presente en su libro Rasif: mar que arrebenta, el texto busca ejemplificar como las carnes nascidas con un pene no están condenadas por la naturaleza, o por la divinidad, a venir a configuraren cuerpos de machos o cuerpos masculinos. El texto busca dejar en claro que hay más masculinos del que las visiones naturalistas y deterministas afirman.

Palabras clave: Carne. Cuerpo. Masculinidades.

 

 


Palavras-chave


Carne. Corpo. Masculinidades.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18817/ot.v17i29.776

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


VISITANTES DA REVISTA OUTROS TEMPOS NO MUNDO

 

  

 

Catálogos, Portais, Bases Bibliográficas, Índices e Sistemas de Indexação

 

 


    


 

 

¿Dónde lo publico? 




Financiamento